Design thinking toolkit para educadores

6 de August de 2012
students-design-thinking

A IDEO, renomada empresa americana de design, apresentou uma proposta, bem interessante, chamada Design Thinking for Educators. O projeto tem como objetivo utilizar métodos de Design Thinking para auxiliar professores a lidarem com as diferentes situações em seu dia a dia nas escolas.

O método aborda práticas em sala de aula, interação com outros professores, organização de espaços físicos, etc.

No site, é possível fazer download (free) de todo o material (que está bem legal). Também é possível encontrar: cases, depoimentos de professores, pesquisas, etc.

Se você é do meio acadêmico, vale a pena conferir! ;)

 

 

Comentários

Visão geral de um processo de Design Research

5 de August de 2012
Shopping_Cart_Concept

Muitas vezes sou abordada por pessoas que querem entender, de forma rápida, como funciona um processo de design research (sim, é a mesma coisa que design thinking). Ao explicar, sempre acabo rabiscando algumas coisas, mas acho que vou incluir o vídeo abaixo no meu discurso. rs.

É de uma reportagem feita em 1999 pela emissora norte americana ABC que mostra um processo realizado pela IDEO com o objetivo de redesenhar um carrinho de supermercado.

 

Para assistir  a versão completa, com cerca de 30 minutos, clique aqui.

Quer conhecer o case inteiro do shopping cart da IDEO?  Clique aqui.

 

(Ei! Pai! Agora você entendeu com o que eu trabalho? rs)

Comentários

A arte de organizar uma (boa) sessão de brainstorming

7 de March de 2012
brainstorm

“Vamos fazer um brainstorming, junta o pessoal aí!”

Ok. Você até pode apenas reunir pessoas em grupo para dispararem ideias aleatoriamente. Mas a arte de gerar ideias requer uma série de preparações que podem garantir o sucesso da sua sessão com uma qualidade maior do resultado gerado.

Mas afinal, o que é brainstorming? É um método desenvolvido, em 1948, por um cara chamado Alex Osborn (foi publicitário, norte-americano, sócio da famosa agência BBDO), e surgiu pela primeira vez em seu livro “Your Creative Power” (Myers Press).  Nasceu com o intuito de resolver problemas de uma maneira mais criativa e prometia dobrar o poder criativo das pessoas através do uso deste método.

Trabalhando na área de inovação de uma das maiores empresas brasileiras (sim, é o que fazemos! não te contamos?), o que as pessoas mais nos pedem é para organizarmos uma sessão de brainstorming, como se tudo se resolvesse desta forma. Aí temos todo um trabalho de tentar entender se é o caso mesmo de utilizarmos apenas uma geração de ideias, ou se o caso é mais complexo e vale rodarmos um processo com outras ferramentas do processo de design thinking (fica pra outro post). E aí, as pessoas acham que é só reunir as pessoas em uma sala, e sentarmos pra todos começarem a ter ideias, como um passe de mágica, algo quase holístico. Daí resolvemos contar um pouco algumas das etapas (7) que passamos pra chegar até o momento das ideias começarem a brotar (e não, não é mágica, tem muito trabalho prévio e preparação pra garantir um bom resultado). Então vamos às etapas:

1. A PERGUNTA: saiba exatamente o que você quer responder com as ideias geradas. Pode ser um problema a ser resolvido, uma oportunidade de um novo produto, etc. Uma boa dica é definir uma pergunta para ser respondida durante o brainstorming, definir the killer question!

2. OS CÉREBROS: como o nome já diz, é uma tempestade de cérebros, logo quanto mais cérebros pensando, melhor. Mas, principalmente, quanto mais diferente são os cérebros, melhor. Você pode ter duas ou dez pessoas participando, o importante é que haja uma diversidade. Aposte em pessoas de idades diferentes, áreas diferentes, cargos diferentes, e, principalmente experiências de vida diferentes (são as experiências individuais de cada um que dão o brilho a cada ideia).

3. AS FERRAMENTAS: o brainstorming é uma técnica de geração de ideias e, como toda técnica, possui muitas ferramentas que podem auxiliar o processo. Essas ferramentas na verdade são modos diferentes de conduzir a geração de ideias durante a sessão. Você pode optar pelo método tradicional das pessoas falando suas ideias e anotando, ou pode optar por alguma ferramenta como o brainwriting, por exemplo, onde as pessoas escrevem suas ideias de forma silenciosa e passam adiante para o colega completar a sua ideia com novas ideias. Onde achar mais dessas ferramentas? Google! =) Dica: é importante escolher a ferramenta de acordo com o perfil dos participantes. Por exemplo, se o grupo é muito introvertido aposte no brainwriting, pois assim as pessoas não se sentirão intimidadas a expor suas ideias.

4. AS REGRAS: é importante que haja um moderador na sessão de brainstorming para que ele garanta o cumprimento de algumas regras. Que regras? Aquelas que vão garantir que todos tenham o direito de falar, que as ideias não sejam censuradas, que ninguém mate uma ideia antes dela nascer, entre outras. Nós gostamos muito das 7 regras da IDEO:

5. ORGANIZAÇÃO: já perdi as contas de quantas sessões de brainstorming conduzi pelas empresas que passei. E se alguém me perguntasse qual é a parte mais importante de uma boa sessão de brainstorming, eu com certeza diria que é a organização! Como assim? Imagine que você está responsável por conduzir uma sessão de geração de ideias com 20 diretores da sua empresa. Não dá pra chegar na hora e descobrir que não tem fita crepe para colar a folha de flip chart na parede, onde serão colocados os post-its; ou que os post-its que você levou não grudam e ficam caindo da parede o tempo todo. É preciso estar preparado. Por isso se você sabe quem vai participar e quais serão as ferramentas utilizadas, é possível se preparar: 1. check list com todos os materiais que você precisará (e mais alguns extras que talvez você precise); 2. a lógica da geração de ideias e de como a mente das pessoas irá caminhar ao longo da sessão, expandindo o potencial criativo.

6. MATERIAIS: vão variar de acordo com as ferramentas e dinâmicas escolhidas, mas quase sempre post-it (dica: nunca encontramos uma outra marca, que não a 3M, que não descolasse das paredes), canetas (aposte nas coloridas e porosas para escrever em post-it), use e abuse de elementos criativos na mesa (giz de cera, massinha de modelar, Lego, etc.), decorar a sala (ou levar as pessoas para ambientes fora do comum).

7. CRIE: no fim é como eu disse no início, você pode apenas juntar pessoas para ter ideias aleatoriamente ou pode fazer tudo seguindo as dicas aí de cima. Mas nenhuma das duas opções vão funcionar se você não liberar a sua criatividade! Então, SE PERMITA! =)

Boas ideias pra vocês e se quiserem mais dicas é só mandar um email pra gente!

*A Take a Tip organiza sessões de geração de ideias em sua empresa para enriquecer os seus projetos. Entre em contato takeatip@takeatip.com.br .

Comentários

TEDx in a box

20 de December de 2011
7ku8fyuoyh0ia39c

E já que TEDx agora tá na moda e todo mundo quer fazer, a IDEO.org criou um kit chamado TEDx in a Box, com uma aparelhagem que permite que você faça TED Talks de qualquer lugar. Dá uma olhada nos vídeo de divulgação. (o.O)

E aí… você compraria um desses?

Ah! A gente viu essa notícia no Ponto Eletrônico.

Comentários

ATM do Futuro | IDEO e BBVA

9 de November de 2011

A IDEO há algum tempo atrás criou um conceito e ATM para o banco espanhol BBVA muito interessante.

Apesar do case não ser nenhuma novidade para quem trabalha (ou tem interesse) em inovação, achamos válido compartilhar o vídeo com vocês. Tem um pouco mais de 3 minutos e é bem legal.

Para quem quer conhecer um pouco mais sobre o caso, clique aqui e veja o site oficial. #ficadica

 

[vimeo http://vimeo.com/14939329]

Comentários

Follow Us!

Realização:

Parceria

Biblioteca