30ª Bienal de São Paulo | A Iminência das Poéticas

26 de October de 2012

E seguindo com nossas indicações e dicas inspiradoras para sextas-feiras mais leves, não poderíamos deixar de divulgar a Trigésima Bienal das Artes de São Paulo.

A mostra que começou no dia 7/09 e vai até 09/12, ocorre no Parque do Ibirapuera, no Pavilhão Bienal. A entrada é gratuita e segue os horários abaixo:

HORÁRIO DE VISITAÇÃO
TER, QUI, SÁB, DOM E FERIADOS
DAS 9 ÀS 19H – ENTRADA ATÉ 18H
QUA E SEX DAS 9 ÀS 22H – ENTRADA ATÉ 21H
FECHADO ÀS SEGUNDAS

O tema da Bienal, que desta vez tem o papel de levar arte para uma sociedade com pouco acesso à cultura e artes em geral, trata sobre  “A IMINÊNCIA DAS POÉTICAS”, tem curadoria de Luis Pérez-Oramas, e recebe 110 artistas, sendo 21 deles brasileiros.

Waldemar Cordeiro (Créditos:Divulgação)

“Foto do Clube Esperia” – Waldemar Cordeiro (Créditos:Divulgação)

Apesar do tema central, “A Iminência das Poéticas”, a mostra está dividida em cinco outros temas: Reverso, Sobrevivências, Alterformas, Derivas e Vozes. Outros pontos da cidade estão recebendo intervenções e elementos da mostra, como é o caso da Capela do Morumbi, da Casa Modernista e da Casa do Bandeirante.

Para acompanhar a programação das ativações das obras e dos ateliês, além de outras intervenções que estão ocorrendo com o público, não deixe de curtir a página da Bienal no Facebook (https://www.facebook.com/bienalsaopaulo) ou acompanhar pelo próprio site da mostra (http://www.bienal.org.br).

“Productos Peruanos para Pensar” – Alberto Casari (Créditos: Divulgação)

Aproveite o final de semana para ir expandir seus horizontes. Arte não é apenas para quem entende ou estuda esse universo, mas sim para todos aqueles que buscam aumentar seu repertório de mundo, e abrir o olhar para coisas novas. Todos que trabalham com criatividade e inovação devem estar constantemente em contato com coisas novas e fora da sua zona de conforto. Esse é um roteiro essencial para abrir a cabeça e aumentar o seu potencial criativo. ;)

Comentários

Inovação como vantagem competitiva

11 de September de 2012

 

Olá pessoal,

Hoje estou quebrando o protocolo e advogando em causa própria! Estou muito feliz e gostaria de compartilhar com nossos seguidores mais essa conquista, ter um artigo divulgado no Portal HSM, é um motivo prá la de  especial que certamente justifica ter este post. Para quem ainda não leu, segue abaixo na integra o artigo que escrevi e foi divulgado na semana passada:

“Aos olhos do consumidor está cada vez mais difícil de identificar o que diferencia uma marca da outra. É uma sutileza aqui, um toque ali e uma dificuldade gigante em definir qual a melhor solução na aquisição de um novo produto ou serviço.

O uso da inovação como vantagem competitiva tem sido pauta fixa em reuniões das grandes organizações, na busca de constituir benefícios diferenciados aos clientes. Mas a pergunta que não quer calar é: como fazer? Existem no mercado diversas metodologias capazes de proporcionar soluções diferenciadas para as empresas interessadas, mas o principal item que deve ser levado em consideração é a cultura de inovação.

Essa cultura é capaz de transformar um ambiente, desenvolvendo um DNA inovador em que cada colaborador seja capaz de respirar inovação espontaneamente, onde se tenha um verdadeiro exército de pessoas buscando soluções com o foco “do cliente”. Isso sim constitui um diferencial competitivo.

Organizações que realmente utilizam a inovação como vantagem competitiva investem esforços em questões culturais, desenvolvendo suas equipes e indo muito além de ter um “grupo de pensadores” trancados em uma sala diferenciada acreditando ter soluções para virar o jogo no mercado.

O verdadeiro diferencial competitivo está em possuir colaboradores com pensamento diferenciado, com olhar inovador em um ambiente aberto e comprometido em reinventar-se constantemente.”

Públicado no Portal HSM em 04/09/2012

Comentários

O que comemos

25 de January de 2012

Você já deve ter ouvido aquela frase “você é o que você come”, pois é… o fotógrafo Peter Menzel resolveu explorar esse tema entre diversas culturas.

O resultado é o livro “Hungry Planet: What the World Eat”, onde o fotógrafo reuniu fotos dos hábitos alimentares de 30 famílias em 24 países diferentes. A proposta era fotografar tudo o que cada família consumia ao longo de uma semana, registrando quanto elas gastavam, e quantos membros da família se serviam daqueles alimentos.

O resultado, além de um belo trabalho fotográfico, é um rico material para base de estudos antropológicos nos dando uma série de indicadores sobre cada cultura.

Veja, como exemplo, quantas diferenças nas fotos abaixo (clique na foto para ampliar)!!!! Repare na quantidade de alimentos frescos versus industrializados; na presença de bebidas alcoólicas; na ausência de carnes… e claro, faça as comparações mais gritantes! Por exemplo, a família de 4 pessoas na Alemanha que gasta US$ 500 por semana e tem uma mesa farta de carnes, bebidas, e produtos indrustrializados; e a família de Mali, com 15 membros, que sobrevive em uma semana com apenas US$ 26,39 e uma dieta composta em grande parte de grãos. Mas curiosamente, a família de Mali que parece passar maiores dificuldades também está muito mais sorridente e feliz na foto, do que a família Alemã… pois é… essas fotos podem nos mostrar muito além do que a quantidade de comida de cada família!

Para ver mais fotos deste projeto você pode entrar no hypeness, que é um blog que gostamos bastante, ou também no site da TIME .

Pelo visto, se você não é o que você come, pelo menos o que você come diz muito bem quem você é! ;)

Comentários

Follow Us!

Realização:

Parceria

Biblioteca