Michio Kaku | O físico do Impossível

11 de February de 2012
Michio_Kaku_001

É claro que a palestra mais nerd de todas teria que ficar para o último dia de Campus! Estou falando do “físico do impossível”, Michio Kaku.

A palestra foi com certeza a mais perturbadora de todas! E também a que me deixou mais ansiosa pelos próximos 20 anos! #chegalogofuturo

Professor, físico teórico e co-criador da Teoria das Cordas. (se você já assistiu The Big Bang Theory, ele seria a versão real e top do Sheldon Cooper, mas com um senso de humor incrível!).

Quebrando a imagem de que físicos são chatos, Kaku iniciou a palestra comentando o fato de que a revista  NY Magazine  fez uma lista das 100 pessoas mais inteligentes de New York colocando-o na lista. No entanto, admitiu que Madonna está na mesma lista e que no próximo ano é provável que Lady Gaga o tire da lista. Muitas piadinhas e comentários divertidos como este deram o tom da palestra.

Mas o que mais impressionou foram as previsões trazidas para os próximos 20 anos. Afinal, este é o trabalho de Kaku: prever o futuro!

Vamos às previsões perturbadoras/excitantes:

Computadores: baseado em que a capacidade dos computadores dobra a cada 18 meses, é possível prever que em 10 anos os chips de computadores custarão 1 penny (algo como 1 centavo) espalhando o poder do computador por todo lugar e em nenhum lugar, como a eletrecidade atualmente (que está em todo lugar e não percebemos).  No futuro todos usaremos óculos e lentes com processadores (internet glasses) que nos trarão informações em tempo real. Imagine aquela cena corriqueira em que você encontra alguém mas não consegue se lembrar do nome da pessoa (sempre acontece comigo!!!); na sua lente, ao ver a pessoa, os dados dela (nome e outras informações) aparecerão na tela!!! Fantástico!? Melhor ainda que essas lentes poderão trazer informações de pessoas que você ainda não conhece, te possibilitando saber quem é quem em uma festa importante, e com quem é mais interessante conversar naquele momento para os seus negócios, ou ainda quem está disponível para um encontro naquela noite.

É pouco?! Michio Kaku aposta ainda que essas lentes terão a função de tradutor, GPS, teleconference, editar arquivos, assistir videos, scanear preços e informações! Enfim, será seu centro de trabalho e lazer! Ufaaa! Onde encomendo a minha!?!  “Você vai piscar e estará na rede!”. Isso é realidade aumentada: quando um número ilimitado de informações virtuais são postas na realidade!

Saúde: seu banheiro irá dizer como está sua saúde e a palavra tumor desaparecerá do dicionário pois um câncer será detectado muito antes disso. Todos teremos nosso genoma mapeado por US$ 100. O vídeo abaixo mostra bem o que Michio Kaku (que aparece no vídeo) quer dizer.

Papel: o papel será inteligente e as telas serão flexíveis. Até o papel de parede será inteligente e conversará com você. Você dirá que cansou da decoração e ele mudará de cor, tema, imagem…

TV e Computadores: os televisores serão 3D mas sem vidro (!?) e os computadores em escritórios serão descartáveis pois serão tão baratos quanto papel.

Compras: seu cartao de credito terá suas medidas corporais em 3D e tudo será feito sob medida para todos (customização em massa).

E para encerrar ele concluiu que tivemos 3 grandes ondas de desenvolvimento: 1 – indústria a vapor; 2 – descoberta da eletricidade; 3 – invenção do computadores/internet; e agora está chegando a quarta onda que, para Kaku, é a onda do Capital Intelectual, das Pessoas. Para ele, o poder está na mente das pessoas, principalmente dos jovens que farão tudo isso se tornar realidade nos próximos 20 anos!

E aí!? Quem ficou ansioso?!?! Nós ficamos! =)

 

Comentários

Julien Fourgeaud | Angry… campuseiros!

10 de February de 2012
angrybirds

E no penúltimo dia (buááá) de Campus Party, o clima esquentou durante uma das palestras mais aguardadas pelos nerds/geeks de plantão.

Julien Fourgeaud é Product Manager & Business Development da empresa Rovio. Ah, não conhece? E Angry Birds? Pois é, o jogo é o maior sucesso da empresa. A repercussão do aplicativo em 2010 foi tão grande que o caso é estudado como especial por tornar um produto de tecnologia (um jogo) em um ícone da cultura pop. Parece exagero, mas hoje a Rovio lucra tanto com a venda de produtos licenciados (canecas, pelúcias, camisetas, etc.) quanto com o download do app do game. É um verdadeiro portfólio offline do game.

É inegável o sucesso desse game entre pessoas de todas as idades! Até o indiano Sugata Mitra, que palestrou na terça-feira, fala dentro da sua tese de educação tecnológica que o jogo poderia substituir um MBA. E é por todo esse sucesso que esta era uma das palestras mais aguardadas, e também foi por isso que os campuseiros aproveitaram o momento desta palestra para protestar contra a onda de roubos na CPBR5, interrompendo a palestra.

Dando um show de civilidade, Julien chamou a atenção dos campuseiros que estavam protestando para lembrar o fato de que o Campus Party é um evento de uma comunidade e que, como uma comunidade, todos deveriam se ajudar e que violência não resolve as coisas. O cara até sugeriu um crowdfunding e começou a vaquinha com os R$ 20 que tinha no bolso para ajudar quem teve seus pertences roubados. =)

Este ato de Julien já dava o tom do que seria o resto da palestra de um cara que se mostrou extremamente simples, palestrando de chinelo, e falando abertamente das barreiras que qualquer empreendedor vai enfrentar para alcançar o sucesso em seu projeto.

Para aqueles que estavam esperando ouvir mais sobre tecnologia e sobre jogos, a palestra com certeza deixou a desejar. Mas é impossível que alguém que tenha assistido à palestra termine sem aquela sensação de “vou levar esse aprendizado pra vida toda!”.

Que aprendizado?! Coisas da vida… coisas de carreira… coisas de empreendedorismo… Pra resumir alguns dos pontos que ele abordou trouxemos algumas frases e dicas, ditas durante a palestra:

– O maior obstáculo da sua carreira é você mesmo, pois só você mesmo pode te impedir de fazer algo;

– “Niklas Hed (fundador da Rovio) era um estudante quando abriu a empresa, pois gostava de programar, mas teve sucesso porque também soube vender seus produtos. Na vida, precisamos desenvolver habilidades que nos deem prazer, mas também aprender sobre coisas das quais não gostamos tanto” – falando sobre o fato de que temos que saber fazer coisas que não gostamos também;

– “Experimente, viaje, curta o caminho enquanto não chega em seu destino, se aprimore, celebre o sucesso”;

–  “valorize seus amigos e parceiros”, foi com essa frase que ele se despediu do palco.

Mais do que as frases (confesso que achei meio prontas, açucaradas e de auto-ajuda rs) o que encantou em Julien foi a postura. Tanto lidando com os manifestantes, quanto mostrando que apesar de ser um cara focado em um negócio de sucesso, ele também arruma tempo para atividades que gosta, como, por exemplo, ser DJ!

Outra atitude que cativou a platéia foi o caso das “camadas”. Ele chegou no palco ‘recheado’ de camisetas. (obs: quem passou esses dias campuseando, sabe bem que colocar mais do que uma camada de roupa já é um sacrifício com aquele calorzinho, imagine várias). O que ele fez foi tuitar dias antes, dizendo que vestiria a camiseta das empresas/grupos que enviassem uma para ele. E foi o que ele fez. Durante a palestra ele foi tirando as camadas e mostrando as camisetas. Pra que tudo isso?! Ele explica:  “dar oportunidade para essas marcas/comunidades  estarem no palco e aparecerem pras pessoas”.

Taí um cara de palavras doces e atitudes fofas! Nem parece que a empresa onde trabalha é responsável por um jogo onde pássaros zangados são arremessados contra porcos verdes com risadinhas sádicas! =P

Comentários

Ticies | A nova rede social que pode mudar tudo

9 de February de 2012
e932eb84de00a4a5838758d0fe01c469_g

Há poucas semanas foi inaugurada a nova rede social que promete mudar a forma como consultamos informações sobre cidades e entretenimento. Ela se chama Ticies, é brasileira e pretende conquistar o mundo. Aqui na Campus Party Brasil, não se fala em outra coisa…

Mas o que tem a Ticies de tão diferente do que estamos acostumados?

Bom, se você está com preguiça de ler o post todo, assista ao vídeo abaixo, mas se ficou interessado de verdade, continue lendo :) (mas vale a pena ler, por que dá pra ganhar dinheiro de verdade)

A grande sacada é que qualquer usuário pode ser dono da sua própria cidade. O sistema foi criado por Joaquim Venâncio (ex-chefe de canais do Banco do Brasil) e funciona assim: qualquer estabelecimento comercial do mundo pode ser cadastrado no site para que consumidores tenham acesso a informações sobre restaurantes, cinemas, médicos, bancos, farmácias, etc. Mas para que isso seja possível, é necessário que a cidade deles já possua um dono (ou seja, uma pessoa responsável por moderar tudo o que tenta ser inserido).

Ahhhh…. e como faz para ser dono de uma cidade? Pois é meu caro… aí que vem a sacada, você precisa participar de um leilão. O.o

E como faz isso??????? Bom, é fácil, você entra no site, procura uma cidade e se ela ainda não tiver dono, você pode dar seu lance. A partir daí, serão 120h de leilão até que o maior lance seja considerado o vencedor (sim, é com dinheiro de verdade). O dono de cada cidade, tem a responsabilidade de organizar os temas cadastrados, e em troca, recebe 51% de toda receita gerada pelo local. WOW!!!!

O dinheiro vem dos estabelecimentos que querem se cadastrar na cidade. Existe um pacote básico gratuito, mas caso queira comprar mais espaço e ter direito a outras funcionalidades, existem outros dois pacotes (Ouro e Platina) com valores a serem pagos, variando de acordo com cada cidade.

Atualmente, mais de 400 cidades já foram compradas!! #CORRAO!!!!!  Compra a sua!

Para quem quiser mais informações sobre as responsabilidades do dono de uma cidade, eles também disponibilizaram um manual.

Comentários

Um Ciborgue na Campus Party!

8 de February de 2012
el-primer-cyborg-humano-estara-en-el-campus-party-20111019035848-200655dccbfdc511cc76f5289f59aa14

“Eu passei a enxergar as cores. Até o dia em que eu sonhei colorido, com sons eletrônicos que eram cores. A partir daí, eu entendi o que é ser um ciborgue, que é o momento no qual a pessoa  não consegue mais diferenciar os sinais do software dos emitidos pelo meu cérebro.”

Não, esta não é uma frase tirada de algum livro de ficção científica, nem a fala de algum personagem de um filme futurista. Esta frase é um depoimento real do homem considerado, oficialmente, o primeiro ciborgue no mundo.

O cara em questão é o britânico Neil Harbisson que foi a sensação do segundo dia de Campus Party. Afinal, não é todo dia que você esbarra com um ciborgue por aí, não é mesmo?!

A história de Neil começou em 1982, quando ele nasceu com uma deficiência visual chamada de acromatopsia e que o fazia ver o mundo como uma televisão antiga: tudo em P&B (preto e branco).

“Não ver cores realmente marginaliza você. Era impossível para uma pessoa como eu entender o que é o Greenpeace, as páginas amarelas, a Cruz Vermelha ou o Pink Floyd.  Isso me levou a buscar alternativas para descobrir as cores. No início, tudo o que fiz foi estudar artes visuais, ainda que eu só pudesse ver escalas de cinzas”, disse Neil que hoje é artista visual e compositor.

Sua jornada começou na busca por soluções para driblar o problema visual e acabou na criação do chamado eyeborg, um aparelho que ele inventou em 2003, junto do cientista Adam Montandon, e que traduz as cores em ondas sonoras.

“Em março de 2004, pela primeira vez na vida, eu percebi as cores por meio dos sons”, disse Neil.

Na versão mais atual (mais leve e já acoplada diretamente no crânio), Neil carrega o olho biônico que se parece com uma webcam e que identifica as cores a sua frente e envia para seu cérebro onde seu sistema nervoso criou uma nova rede neural para interação com o aparelho, transformando essas cores em frequências sonoras. A partir dessas frequências o cérebro desenvolveu uma habilidade para identificar tonalidades e níveis de saturação, onde os mais altos emitem níveis de volume mais altos e vice-versa.

Mas como toda inovação encontra barreiras e burocracias, com Neil não foi diferente. Ele encontrou dificuldades no momento de renovar seu passaporte já que queria ser fotografado com o eyeborg. Depois de atestados médicos, depoimentos de amigos, e semanas de lutas, Neil conseguiu ter o passaporte aprovado e ser reconhecido oficialmente perante o governo como um ciborgue. Segundo ele, o que o torna um ciborgue não é a união entre o eyeborg e sua cabeça, mas sim a união entre o software e o seu cérebro.

Em 2010, ele resolveu criar a Cyborg Foundation, uma fundação para ajudar pessoas que, como ele, também precisam ter direitos reconhecidos, como por exemplo, o direito de entrar em um cinema com uma câmera na cabeça.

E se você achava que essas coisas de ciborgues, partes biônicas e cérebros ligados à softwares eram coisas de ficção científica ou previsão futurista, deveria dar um pulinho na Campus Party porque isso é só uma amostra das coisas incríveis que  estão rolando!!!! Quem sabe, se você tiver sorte, pode esbarrar com o Neil por lá e pedir para tirar uma fotinho pra postar no Face! =) #CPBR5

Comentários

Sugata Mitra | Educação e Tecnologia

7 de February de 2012
1280px-OEB2007_Sugatra_Mitra_2

Como esta semana (quase) não se fala em outra coisa no mundo internético que não sobre a quinta edição da Campus Party Brasil #CPBR5, resolvemos fazer uma semana especial.

Durante toda a semana estaremos “campusando” e acompanhando os assuntos que atrairão maior público e que ainda não ouvimos muito disso por aqui… logo, traremos pra cá post dos assuntos quentes, inteligentes e com um grande potencial de tendência com alto impacto nos próximos anos para a sua vida.

E pra abrir a semana com estilo, vamos falar de Sugata Mitra. Quem? “Aaaah… se é indiano vai falar sobre mercados emergentes e pobreza”. Não (exatamente). Os estudos que o pesquisador indiano vêm desenvolvendo ao longo dos anos estão focando em algo em que a Índia também tem se mostrado referência: tecnologia. E para ser mais específico, ele resolveu aprofundar no quanto a tecnologia consegue auxiliar o processo de educação e, indo além, o quanto a tecnologia tem afetado o modelo atual de educação e o papel do professor em tudo isso.

Durante a palestra no CPBR5, o Professor da Universidade de Newcastle e docente visitante do Massachusetts Institute of Technology (MIT), falou sobre seu experimento chamado de Hole-in-the-Wall. Neste experimento, o pesquisador colocou computadores em buracos feitos em paredes de um pequeno vilarejo indiano, na altura das crianças para que elas pudessem interagir com os equipamentos misteriosos para elas, e foi embora. Ao voltar depois de 3 meses, para sua surpresa, as crianças estavam dominando o uso dos computadores, jogando vários games, e ele foi abordado por elas reclamando que precisavam de um ‘processador mais rápido e um mouse melhor’ para os jogos. Quando o Sumata perguntou às crianças como elas haviam chegado à essa conclusão, a resposta para elas era simples: elas aprenderam inglês pelo computador sozinhas, para poder pesquisar e aprimorar o uso da máquina.

Outros estudos como este tornaram Mitra em um dos maiores especialistas do mundo em tecnologia educacional, e levaram o professor à  algumas conclusões que foram compartilhadas hoje no CPBR5:

– “Os professores precisam ser capazes de dizer algo que não estão acostumados a dizer: eu não sei, mas vamos descobrir. E eu garanto que um grupo de vinte crianças é capaz de descobrir em duas horas como desenvolver um aplicativo para Android”;

– “O professor deveria ser um mediador e não um ensinador”;

– A fórmula para o sucesso no ensino é um computador na mão e uma boa pergunta na cabeça;

– ‘Professores deveriam ser substituídos por computadores com acesso a web’;

– Crianças aprendem sozinhas quando estimuladas e com ferramentas.

A palestra foi a mais disputada ao longo do dia, e com as perguntas mais instigantes já que na platéia estavam muitos professores que ouviram deste incrível pensador que “professores deveriam ser substituídos por máquinas”. Durante a palestra o nome do professor foi parar nos Trend Topics do Twitter (aliás, se quiser seguir o professor, @Sugatam).

Nós curtimos muito! E você?! Concorda com essa nova era de educação?!

Comentários

Alô, Alô Geeks e Nerds! Campus Party Chegando!

4 de February de 2012

Este post vai especialmente para todos os geeks e nerds (aliás, você já viu a diferença entre um e outro?) e claro todos os conectados, blogueiros, vlogueiros, twitteiros, e plugados em tudo o que acontece nesse mundo louco que é a internet. =)

Chegou o evento mais esperado do ano: o Campus Party Brasil 2012 !!!!!! o/o/o/

O Campus Party é nada mais, nada menos do que o maior acontecimento tecnológico do mundo nas áreas de inovação, ciência, cultura e entretenimento digital, reunindo milhares de pessoas para apresentar e debater diversos assuntos dentro destes temas.

Criado na Espanha, em 1997, veio para o Brasil em 2008 e contou com pouco mais de 3.000 campuseiros (nome dado aos frequentadores do evento); já na edição de 2011 foram mais de 6.800 campuseiros participando de centenas de atividades divididas entre palestras, debates e oficinas. Para a edição de 2012, as vagas já estão encerradas mas ainda dá para se inscrever no site e acompanhar as atividades on line junto com mais 163.428 campuseiros que já se inscreveram (até este post). #corrão

Só pra dar um gostinho de alguns dos destaques:

– O ativista Charles Lenchner, do Occupy Wall Street – não tem como não falar do poder da internet na manifestações;

– Michio Kaku, o “físico do impossível”, co-criador da Teoria de Campos de Cordas (parece coisa do The Big Bang Theory, né?!);

– Kul Wadhwa, Diretor Gerente da Wikimedia Foundation/Wikipedia;

– Julien Fourgeaud,  Product Manager & Business Development da empresa Rovio (ah, não conhece?! mas o maior sucesso deles com certeza você conhece: o jogo Angry Birds);

Além das figurinhas de sempre da internet: Rafinha Bastos, PC SiqueiraRodrigo Fernandes (Jacaré Banguela)Mauricio Cid (Não Salvo), Rosana Hermann (Querido Leitor), e outros.

“Aqui os usuários acomodam seus equipamentos e interagem para reproduzir, 24 horas por dia, o que realmente é a internet: uma rede feita por pessoas reais”.

Além das palestras e oficinas, ainda tem a arena com espaço de empresas expositoras e patrocinadores com a missão de levar um conteúdo diferente e provocativo para despertar a atenção desse pessoal mais do que plugado. Um dos caminhos encontrados pelas empresas foi a criação de desafios, com premiação para melhores respostas, como por exemplo, o Banco Itaú que está lançando desafios valendo um Mac Book Pro no valor de R$ 5000!!! E aí!? Vai ficar de fora?!?

Nós, do Inovaqui, é que não vamos!!! Quem sabe você não nos encontra por lá?! ;)

Comentários

Follow Us!

Realização:

Parceria

Biblioteca