Cientistas conseguem gravar sonhos!

11 de June de 2013

Conteúdo de grande interesse durante o surgimento da psicanálise, o campo de estudo dos sonhos deixou de ser o queridinho para muitos dos cientistas de hoje, devido sua difícil exploração.

Mas um grupo de cientistas japoneses do Instituto de Ciência e Tecnologias, na cidade de Nara, resolveu abraçar essa área de estudos. Eles decidiram investir tempo e dedicação na tarefa de tornar possível o ato de registrar através de imagens os sonhos de qualquer pessoa.

Ilustração do processo de registro de sonhos no estudo dos cientistas japoneses.

Ilustração do processo de registro de sonhos no estudo dos cientistas japoneses.

 

Para quê? O poder desta façanha é tão grande quanto inimaginável. Tente imaginar o que a CIA ou FBI não fariam por uma tecnologia que torna possível saber o que mentes como as de grandes líderes políticos, inimigos do estado, e qualquer ser humano comum sonham. De sonhos eróticos que poderiam colocar um presidente em uma delicada posição, a sonhos com segredos de guerra para entregar planos de inimigos.

Enfim, para outros campos comuns poderia auxiliar no tratamento de traumas e experiências desagradáveis, além de auxiliar no diagnóstico e tratamento de diversos quadros de transtornos psicológicos/psiquiátricos.

Em busca de tornar tantas possibilidades reais, o grupo de cientistas japoneses adotou o seguinte experimento, baseado no mesmo modelo de aprendizagem de máquinas utilizado em automação industrial, no processo de identificação de produtos em uma linha de montagem:

1. Através de exames de ressonância magnética funcional (MRI) registraram os padrões de atividade no cérebro durante os primeiros estágios de sono (estágio pré-REM);

2. Os voluntários eram acordados durante as fases iniciais do sono e contavam com o que estavam sonhando;

3. Os cientistas analisavam as ondas cerebrais durante o sono e comparavam com os relatos verbais dos sonhadores percebendo que haviam similaridades quando diferentes sonhadores relatavam os mesmos objetos;

4. Criou-se um banco de dados com as respostas dos voluntários e as respectivas ondas registradas pelo MRI;

 

lendo-sonhos


A leitura dos sonhos se mostrou muito precisa para alguns tipos de objetos e características desses objetos. [Imagem: Horikawa et al./Science]

 

5. Finalizando o experimento, os cientistas criaram um algoritmo baseado no banco de dados do estudo, interpretando diretamente os sinais do exame neurológico e indicando os objetos ou categoria de assuntos (alimentação, livro, pessoas, móveis, veículos…) com os quais os voluntários estavam sonhando.

Assim, a partir das ondas cerebrais mapeadas nas ressonâncias magnéticas, uma busca cruza “ondas cerebrais X imagens sonhadas” possibilitando o registro do conteúdo das imagens visuais durante o sono.

Difícil de entender?! A animação abaixo explica o experimento de forma bem mais visual:

 

[youtube=http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=wgxJhpLoFFU]

 

Imagine um dia poder comprar um gravador de sonhos para ter em casa? Assim, quando você disser expressões como “quero o casamento dos meus sonhos”, poderá pegar um vídeo no seu acervo de sonhos e mostrar exatamente para as outras pessoas o que seria o “casamento dos seus sonhos”, literalmente. =]

Print Friendly
Comentários

Related Posts

Sobre o Autor: Tatiane Carrelli

Publicitária, especialista em Inovação e Criatividade. Quebrou algumas regras na 3M, na Whirlpool, e no Banco Itaú. Então decidiu quebrar regras por aí e criou a Take a Tip, consultoria da qual é sócia hoje. No meio do caminho descobriu uma vocação (Professora na ESPM), um hobby (aprendiz de fotógrafa) e um esporte (Rodrigo Pessoa, que se cuide!).

Leave a comment

Follow Us!

Realização:

Parceria

Biblioteca